directa a ~pi directa a ~
directa

directa a ~pi







amor meu morto

amor meu trago-te

aqui revolto à tona da tarde

aqui te trago preso a palavras

aqui tornado aqui tão
náufrago


tão de nós sempre e sempre



nos dentes acre viúva solidão amarrotada

e aqui te sei vidro entre coxas de aço

tão arco tão nu

tão des verde

in

esperado




foto: Taumelnder Schmetterling

29 comentários:

rosasiventos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
rosasiventos disse...

pergunta sem sentido no destino que já é tarde
(já aguardei o silêncio que chegasse para a aula
já escutei a tua voz)
que posso fazer para te não raptar

Frioleiras disse...

~pi,
puseste 2 comm no meu blogue e eu qd ia a publicar, troquei os dedos e rejei um. se te lembrares, torna a faz�-lo, sff.

bj

f.

elena disse...

amarga solidão
tão longa de espera esperada...

Vi Leardi disse...

... os dias, onde se morre do tarde das palavras...



na escassez deserdada de gestos...

...esperados...

{:O

anatema disse...

Vine a traerte
mi tarde nostalgica
mi boca entreabierta
y unas palabras
que callan
y dicen.
Tudo.

Poderoso disse...

lindo , lindo, lindo.
passe tb pelo meu blog

Anônimo disse...

preso a palavras, não há pior nem mais inútil prisão!

JMPR disse...

A força do cristal talvez esteja na pureza que aparenta em vez do chumbo que comporta, ou estarei vendo mal?
As palavras têm sempre muito significado e a sua forma é deveras surpreendente, sobretudo para quem as admira.

ana disse...

morto

tarde

preso

náufrago

acre

aço

in

Ad astra disse...

aprisionadas
as
palavras...

JRL disse...

tão de ti, ~pi. beijo.

Gi disse...

a viuvez de uma ausência presente?

de um amor que não amadureceu?

triste, tão triste ~pi

um beijo

maria m. disse...

«tão náufrago». «preso a palavras».

© Piedade Araújo Sol disse...

Belo poema.

Maria Laura disse...

Triste e tão belo. Teu.

rosasiventos disse...

olhar-te a história

escavar-te o traço

desfazer-te o laço

ana disse...

mais morto e náufrago? ou

mais vivo e verde?

tufa tau disse...

náufrafo o amor que se perder em alto mar
sem salva-vidas e embrulhado nas tormentas
quando nada nem ninguém o conseguir salvar
imerge no profundo das águas turbulentas

nana disse...

aqui





aqui

em mim









meu amor










amor de mim
















aqui

te enterro.












..















@-,-'-

~pi disse...

aqui me desterro

eu

de mim

Alessandra disse...

areal beirando o mar

tão verde

tão desterrado

tão inesperado

o mar

o amor

nu náufrago

~pi disse...

nada mais podendo

nada mais

nenhuma corda que se lance

e o pior:

não mais

a cre di tar...

Stella Nijinsky disse...

Oi ~pi!

Este poema está lindo, como se disse acima, poderoso!
Os versos estão muito bem conseguidos e muito bem montados,
bem definidores das coisas que nos quiseste transmitir.

Beijo

Stella

~pi disse...

obrigada, stella,

pelas tuas palavras...

nana disse...

" existence is a young child
moving through a lane
at night:

it wanted to
hold my
hand. "


(st. catherine of siena)



..



@-,-'-

~pi disse...

i can´t ALWAYS hold mine, nana.

i can´t, though i´d like to...

but no.





*

~pi disse...

des

XXXXXXXXXXXXXXXXXXX

es perado

nana disse...

not



just




yet






.....







@-,-'-

Loading...