parece-me que há palavras que brotam sozinhas duma acidental beleza

depois desse pó de incontáveis verões se revelar à boca dos dedos





Ruela disse...

mãos entrelançadas

a outras mãos

como se

o último crepúsculo se atrasasse

é a sombra no fim

o desamparo do nevoeiro





foto:VonAnikoMocher

13 comentários:

elena disse...

andas a lamber o pó.

das palavras e da vida?

Gi disse...

as minhas palavras só brotam em

pensamento ... mas são palavras

fêmea

de uma imagem fazem mil imagens,

multiplicam-se, crescem, quase se

fazem gente tal a vida que lhes dou

Os meus dedos muitas vezes

passam-nas para o papel em

forma de desenho. Faz tempo que não

lhes sacudo o pó dos dias.

Um beijo

clotilde disse...

Maior parte das vezes fico sem palavras.
Ainda se deixassem pó...

ana disse...

palavras de sementes hibernadas

Ruela disse...

mãos entrelançadas a outras mãos
como se
o último crepúsculo se atrasasse
é a sombra no fim
o desamparo do nevoeiro

Anônimo disse...

brotam como água, ás vezes escura, às vezes clara...

Dalaila disse...

e se tornam visiveis a olho nu

~pi disse...

de seda e sede:

beijo as vossas palavras ~

legivel disse...

... não sei
de que matéria são feitas as palavras

e quando nascem

apenas sei que as amo como filhas
as acaricio com a ponta dos dedos
e as beijo sílaba a sílaba

só depois as escrevo

L.Reis disse...

As palvras são apenas inúteis...até se diluirem na pele e serem bruma sussurrada nos sentidos.

~pi disse...

e as beijo sílaba a sílaba

na bruma sussurrada dos sentidos...






.das estações e do amor. obrigada.

Ruela disse...

...acidental beleza ;)

bjs.

~pi disse...

a verdadeira beleza é sempre acidental ~

Loading...