.


.








meço-te nas mãos cresço-te da língua



nasço-te do sangue



salto-te do


nada



sei não sei ás vezes onde estou atada







31 comentários:

rosasiventos disse...

apesar de sabido o ciclo da fogueira,
da queimadura à cicatriz,
recomeçamos sempre e com um beijo:

hfm disse...

Que beleza!

Ad astra disse...

e basta seres...

ana disse...

...alada

Rui disse...

Desatada pelas palavras.

* hemisfério norte disse...

essa foto com as tuas palavras....... desatam qualquer nó.
bjs
a.

RAFAEL REYES LÓPEZ DE NEIRA disse...

O que mais se sinte.
BeijinhO.

JMPR disse...

"Quero entrar livremente na mais soturna prisão, a tua mente!"

Autor desconhecido

Anônimo disse...

nascer do sangue
como igreja em festa

Vanda disse...

Quando se nasce do sangue a amarra é forte!


Sem medidas à prova de peso.

Bom fim de semana,

beijo!

nana disse...

pi..

às vezes
deixas-me

em nó
de sentir
contigo



..






e é lindíssimo.




por mais o que.




x

mixtu disse...

desata,
a corda tem nó...
desata
liberta
voa...
volar...
com asas e patas para pousar...

atar


abrazo serrano atado a ti :)

legivel disse...

"... sei que não sei
às vezes entender o teu olhar
mas quero-te bem... "*


Também sei que estou metido numa camisa de onze varas para comentar este post.**

Perco-me nas tuas palavras. Acho-me duas ruas mais à frente.***


* Jorge Palma.
** Comentador Legível.
*** Editor de mapas urbanos.

L.Reis disse...

Talvez baste saber os verbos que que atamos ao TE...

maria m. disse...

do sangue. do nada. das palavras.

disse...

meço-te nas mãos cresço-te da língua...

Que coisa maravilhosa...
Que dom com as palavras...
Que bom vir aqui...sempre e cada vez mais...

Maria Laura disse...

Não atada. Voas nas palavras.

tufa tau disse...

desata-me as mãos para que fale com os dedos
consiga saber de cor os contornos do teu corpo
deslizantes meus braços te tocam sem medos
te pedem os abraços perdidos no tempo

Justine disse...

Foto magnífica, poema a condizer. Tudo muito belo.Voltarei,para bisbilhotar.
E obrigada pela tua visita ao "Quarteto", e as simpáticas palavras :)

elena disse...

atadas aos nós de nós?

Gi disse...

atam-se as letras e formam-se as palavras com fios invisíveis, esses pequenos nadas !
Sentir-se atada, ficar sem voz, a dor que sentem tantos de nós ...

E como os "nós" são feitos com "laços", deixo muitos beijinhos e muitos abraços .

Estive a ler-te . A pôr a leitura em dia. Outro beijo

rosasiventos disse...

é impossível que a pele se não queira estalar:

~pi disse...

atada atada atada

atada a

tudo

a quase nada

.

.

.

Ruela disse...

desamarrame


desa
marra
me

;)

~pi disse...

estiveste escondido

dentrO

do bloG!?

Ruela disse...

tempo

tem

tempo


sem...;)

Alessandra disse...

que trama de trança...

espiralada!

Alessandra disse...

escreves com sangue, saliva e seiva...

~pi disse...

atada a ti (


)


sólida


líquida


ilha




[ ilha demasiado grande

para tanta

pequenez:

onde

só bebo

água

salgada




~

~pi disse...

de todos os lugares

donde

vieres

até mim

te digo

pra sempre

SIMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMMM :)




~~

Jorge disse...

Hola amigo: quería invitarte que visites el blog que estoy realizando con mis alumnos de segundo año de la secundaria sobre LA DISCRIMINACIÓN.
http://nodiscrimine.blogspot.com
Tema arduo e interesante.
Seguro será de tu agrado.
Tu aporte será valioso
Un abrazo desde la Argentina.

Loading...