~










loNga esFinge ver de pio aJanelado beiraL
[
já Nada pro curo em ti: prO curo a procura em Si:



ruínas água inSectos: taRd ios

múrMúrios



[ no quarto Cerrado ao peito
adubo treVas


es Garavato a origem do gem Ido

] ( do aMor ou seja do que for:

escreVo arável


] a toda a rOliça forma


pr eScrevo sem eXcepção o rumor dos metais:

do núMero íM par

ao esMagamento da boCa na fonte


do prEgo


à cr X uZ






foto water poppy regina M

32 comentários:

~pi disse...

muito

muito grata

pela presença aqui

pelas vossas palavras

visitar vos ei logo que possível


~


até já

abraÇos e beijOs

Vieira Calado disse...

Está pequeno demais para mim. Não consigo ler com facilidade.
Mas penso que o estilo é bom.
Cumprimentos

Dalaila disse...

cura que se tem e se procura nos pregos que desatamos

dona tela disse...

Sou mesmo uma alma sensível.

Muitos cumprimentos.

anitta disse...

libelulas

palabras
voladoras


preciosa la foto

feliz fin de semana

un beso

hfm disse...

com papoilas esqueço as palavras.

heretico disse...

poema belo~
guardo este memorável verso "já Nada pro curo em ti: prO curo a procura em si.."

excelente.

beijos

sinhã, a. disse...

murmuro-te: belo. :-)

Su disse...

em si. em ti. em mim.

jocas maradas ..sempre

Só- Poesias e outros itens disse...

Passagens e passagens
quase nos encontramos



bjs.


JU Gioli

disse...

A vida só é possível
reinventada.


Anda o sol pelas campinas
e passeia a mão dourada
pelas águas, pelas folhas...
Ah! tudo bolhas
que vem de fundas piscinas
de ilusionismo... — mais nada.


Mas a vida, a vida, a vida,
a vida só é possível
reinventada.


Vem a lua, vem, retira
as algemas dos meus braços.
Projeto-me por espaços
cheios da tua Figura.
Tudo mentira! Mentira
da lua, na noite escura.


Não te encontro, não te alcanço...
Só — no tempo equilibrada,
desprendo-me do balanço
que além do tempo me leva.
Só — na treva,
fico: recebida e dada.


Porque a vida, a vida, a vida,
a vida só é possível
reinventada.


Cecília Meireles
beijOs

/t. disse...

brilliant
colors, ~pi!

~pi-erfect for july!

¤ ¤ ¤

/t.

mariam disse...

Pi! gostei tanto! o poema é lindo(tive que fazer coppy past para word e aumentar... LOL tou pitosga de todo!)
e a foto é fantástica também! (adoro fotografia)

bom fim-de-semana
um sorriso :)

mdsol disse...

post muito bonito. O texto apela à arqueologia de cada um de nós. A fotografia pujante e sóbria (?)!
:)

della-porther disse...

adoro a diferença que colocas...quando escreves.

beijos

della

f@ disse...

procura -se e encontra-se ...

mas....
Se martelarmos muito o prego some e dificil fica a procura... gostei imenso...bj das nuvens

Ana disse...

Procuro em ti... a diferença. Encontro a origem das palavras ímpares. Refeitas.

maria m. disse...

a origem do amor
nas águas nos murmúrios

Justine disse...

Num grafismo exemplar, as palavras encaixam e aumentam de sentido(s).
Sempre cintilante e belo

andorinha disse...

No rumo que pr eS creves , re eS crevendo.
Uma forma muito tua, inconfundível.

rosasiventos disse...

um milhão de palavras não tapam um vazio;
um poeta diz: sou um poeta: quer dizer: socorro: quer dizer: há poemas que peço socorro: e nada:

Sandra disse...

Lindo texto. Linda imagem.
Vim cá ter com o vento. Amei a papoila... adoro-as.

Véu de Maya disse...

És viciada em bons posts...a imagem e texto são encantamento.

Xi-coração para ti.

Baraújo disse...

inquietantemente inesperado. nao sei senti isso.

beijo

Ad astra disse...

incessante procura

dona tela disse...

Vou ali e já volto.
Beijinhos.

Rui disse...

Encontrada a procura, a partida.

RAÚL disse...

ojo rojo
llora en verde, un mar

um Ar de disse...

[Ia comentar este post e outro...
Desapareceu um post!...]
.
Querida ~Pi,
O mar foi uma escolha dos meus pais para os seus quatro filhos.
.
O Porto foi o destino dos meus 6 anos.
.
Nasci nas planícies do Ribatejo, a admirar cavalos e a temer os touros.
.
Os meus pais nasceram, mas pouco viveram, na Cova da Beira, onde passei os idos meses de Setembro, desdobrando-nos entre as casas de uma avó materna e um avô paterno.
.
É! O mar foi uma invenção dos meus pais.
Reconheço-me nessa tua escrita "arável", muito mais do que no salitre do mar...
.
[Beijo com cheiro a terra e som das folhas das ávores, sacudidas por brisas mornas... passadas]

Vanda disse...

~Pi,


ler-te continua a ser vertigem...





Fixa:



a aravel aragem da tua fonte.



Beijos

0.03 disse...

Vox Papoila...










the voice of the poppy
blossoming menstruation red

lupussignatus disse...

haste

que

sangra

a

pétala

a

pele

Loading...