~






LIMITES AO LÉU

POESIA:

"words set to music" (Dante
via Pound), "uma viagem ao
desconhecido" (Maiakovski), "cernes e
medulas" (Ezra Pound), "a fala do
infalável" (Gothe), "linguagem
voltada para a sua propria
materialidade
" (Jakobson),
"permanente hesitação entre som
e sentido
" (Paul Valery), "fundação do
ser mediante a palavra" (Heidegger),
"a religião original da humanidade"
(Novalis), "as melhores palavras na
melhor ordem
" (Coleridge), "emoção
relembrada na tranquilidade
"
(Wordsworth), "ciência e paixão"
(Alfred de Vigny), "se faz com
palavras, não com ideias
"
(Ricardo Reis/Fernando Pessoa), "um
fingimento deveras
" (Fernando
Pessoa), "criticism of life" (Mattew
Arnold), "palavra-coisa" (Sartre),
"linguagem em estado de pureza
selvagem" (Octávio Paz), "poetry is to
inspire" (Bob Dylan), "design de
linguagem" (Decio Pignatari), "lo
imposible hecho posible
" (Garcia
Lorca), "aquilo que se perde na
tradução" (Robert Frost), "a liberdade
da minha linguagem" (Paulo
Leminski)...


[Paulo Leminski, in "Distraídos venceremos..."





a mim não me aquece nem me arrefece o sonho
recuso embalsamar-me lá dentro. há circos de palavras, sinto-os. há palhaços que me assustam nas palavras. luzes brancas excessivas.às vezes, a linguagem poética, entre outras coisas, é uma masturbação?
sei que nem sempre, mas assim me parece demasiadas vezes:
preciso reflectir estas coisas - nada contra a masturbação, mas não basta:
por vezes a palavra induz actos, propõe-se acto, pisca os olhos, ilude. insinua. avança: esperança.
preciso de dormir não só, mas também, sobre isso: sobre os caminhos que aponta e traça na vida real.
paragrafar. descansar. re intuir. re flectir. criar mais oco ainda. re morrer?
enquanto não estou, deixo música e
abraços espalhados no vosso corpo ( do mais denso ao mais subtil.

esta música é telúrica, é forte, embalática nostálgica e é toda verdade pra mim.

[ o vídeo de vera, quase ilustra a dúvida daqui das palavras.

obrigada pela vossa presença e amor

-nunca demais dito :)




~
http://www.youtube.com/watch?v=Ho-R7W9O20I - cesária évora


http://www.youtube.com/watch?v=wsMi-hM1Yfo - veramantero










.

48 comentários:

~pi disse...

ao poema de cima acrescento

vigiar e punir

de michel foucault

( entra aqui a palavra, sim,

a poesia e a sua perfídia enganosa

e circense em que

tudo diz e nada diz do que diz

e, depois, via máximo ballester,

intraduzidas para mim para

português,

duas pequenas frases de

czeslaw milosz,

- "Siempre he aspirado a una forma mucho más amplia que, libre de las aspiraciones

de la poesía y la prosa, nos dejase entendernos sin exponer a lector y a autor a sublimes agonías."

- "El propósito de la poesía es recordarnos qué dificil es seguir siendo una sola persona, ya que

está abierta
nuestra casa, no tiene llaves, y huéspedes invisibles entran y salen a su antojo."

ok, a poesia, a sua companhia própria e a de outros. a partilha. muito bem.

o apelo à simplicidade à comunicabilidade.
os outros nós, eu, vós aqui. certo. gosto disso mas não é tão simples se deixamos a poesia entrar na vida. a inquinação- inclinação, direi, aparentemente inocente das letras, os seus nós, redes, toque.

o toque.

difícil a gestão desse toque, da companhia viva da poesia feita atitude, plasma, coisa móvel.
a coragem de reconhecer a viveza da poesia no coração a direcção, aí, ai...

pois preciso de dormir muito também sobre estas coisas, estas... almofadas...?



~

~pi disse...

hesitei, porque não sei se vos vou comentar, mas sim, deixarei a caixa aberta.

visitar-vos-ei, isso sem dúvida! :)

Ad astra disse...

ai que saudades...

quer comentes, quer não comentes, quer visites , que nã visites...

ai que saudades

.


bj

LM disse...

só saber que virás já é suficiente para ondear nesta caixinha aberta...
beijos

observatory disse...

bicho lindo

de poesia um dia se falará

é claro que conto que me estejas por perto

aqui ali....
onde der

bjos

intimidades disse...

ouvir poesia e senti-la no coraçao de outro

Jokas

Paula

legivel disse...

... saber que nos amas é também muita generosidade

eu não sei se seria capaz de ser tão claro

na dúvida, tenha a certeza que voltarás um dia

não interessa se cinzento ou de sol aberto.

beijos.

nana disse...

abraço(-te)

tanto

(n)o que deixares.



...





muito
e forte.





xX

entre dentes disse...

entredentes, poesia e selvejaria...

anitta disse...

gracias por dejarnos esta musica

un besazo muy grande

oye pero te vas??

um Ar de disse...

Tristeza...
sim!
Mas que [te]
entendo!
Por isso...
Por ti...
Por mim...
Por tudo...
... dorme
em
ponto final
parágrafo
... e ~Pi
ou outra
forma
ou som
ou palavra
... aguardo-[te]
numa nova
página
quem sabe?
[TU]
.
[Beijo...@]

Justine disse...

Deixas-me os limites do ceu e do sonho, neste teu intervalo. Que espero produtivo. Mas breve.
Sentirei falta da tua criatividade e bom gosto.
Beijo

mariam disse...

Pi,
se chegou a hora de descansar,
"toca a descansar"

re
no
var

e

depois, sim

voltar...

estaremos no mesmíssimo sítio!
ah!mas adoro quando lá dá o seu "saltinho" luminoso :)

fique bem
um grande sorriso :)

mariam

OBRIGADA p'las palavras "faladas" deixadas...

Ana disse...

Dorme, paragrafa, descansa, ... mas depois volta.
Guardo a música e os abraços.Uma forma de amor que nos deixas.
Obrigada, ~Pi.

coelhinho disse...

fiquei triste...

um beijo rápido (como são os beijos dos coelhos)

e a seguir dou um saltinho

Véu de Maya disse...

gaivota voadora!

sê feliz como te der na tua telhina...as tuas postagens são sempre tão belas...que com saudades vou olhar para as estrelas...mas tu continuas a bailar nelas...minha linda pr...

xi-especial

Bill Stein Husenbar disse...

E que maravilhoso é.

Querida ~Pi, todos temos o nosso momento de descanso.

Aproveite. E volte com mais força.

http://desabafos-solitarios.blogspot.com/

Oliver Pickwick disse...

"Embalsamar-se no sonho". Jamais pensara nisto. É tão letal quanto não perseguir o sonho.
Um beijo!

P.S.: Espero que o ponto parágrafo seja breve como um piscar. ;)

f@ disse...

Audaciosa a fragilidade de voar… ganhamos altura e perdemos terreno…saber o sonho tem asas e pés… e que voar tem o sabor de nos "perder" no infinito "céu" e nos trazer de volta durante a tempestade...
Gostei imenso....

Beijinhos das nuvens

Bárbara disse...

paragrafar. descansar. re intuir. re flectir. re morrer?

nao será tudo isso um sonho. nao será tudo isso a vida...

entre dentes disse...

o toque da poesia, nada a acrescentar que não saibamos já.
chega do céu e acaba na vala.

L.Reis disse...

...espero por ti no virar da próxima palavra.

Post-It disse...

Até já.
:)

Ruela disse...

Where are you? ,)

Vanda disse...

~Pi

sobre circo: gosto dos corpos esvoacantes. do desafio do abismo. da coragem e precisão. olhos nos olhos das feras.

mas o chicote que dançava no ar, doía-me no ruido do ar tragado.

Entravam os palhaços e eu batia palmas como todos os outros. Mas havia sempre um que não conseguia, que não percebia, que não tinha. algo. era esse o seu papel. mas no tempo do faz de conta,eu não sabia. E perdia o riso. Depois entravam os caezinhos amestrados e eu acabava com pena dos bichos, ali cheios de tule e rendas...

Gosto dos corpos esvoaçantes.

Da realização do impossivel.


Do desafio do espaço num tempo certo de corpo.


Entre cabos, a criatividade balança-se :) apanha-la? :)


beijo com carinho

SMA disse...

Essa maturbação mental de palavras que moldam imagens, texturas e corpos em mente
.
.
.
e nos levam para além da realidade e do palpavel
.
.
parar sim...
fazer-se terra e da terra
.
.
Obrigada
pena... cheguei tarde parece...
bjo doce

Ruela disse...

ah ;)

there you are...miss you.

elena disse...

a superfície mais visível das coisas é, com poucas excepções,
a única "coisa" que se toca aqui.

tudo ficaria na tradução, caso a leitura mais funda das palavras chegasse a ser feita.

disse...

Não desapareças...novamente....muitas as saudades que vais deixando...!
Fique bem...te penso sempre...!
BeijOs tantos...!

tufa tau disse...

só posso deixar um beijo... volto!

triliti star disse...

vi num blog as palavras que lá escreveste.
gostei.
aqui também.

~pi disse...

obrigada

não sei se se trata de gostar,

pra mim significa que identificam essa necessidade minha

de reflectir, parar, caminhar,

ser ( verdade,

observatory disse...

verdade?

como?

onde?

alexandrecastro disse...

gostei do momento!
bj

D. disse...

Vou assistir os vídeos e volto aqui.

D.

Stella Nijinsky disse...

Olá ~pi

finalmente te leio com uma menor carga enigmática.

afirmativa e sem dúvidas como sempre!

um beijo

stella

legivel disse...

... o youtube da pina b é um must

thanks

~pi disse...

obridada querido alberto!

a mim comove-me

( in extremis

é um caminho

(( it´s

mY

waY

~

mariam disse...

~Pi,
Obrigada!

bom resto de semana
um grande sorriso :)

mariam


ah! o vídeo... obrigada, também, e eu que "falhei" o espectáculo d'Ela .....

rosasiventos disse...

... a

in-ven-tar de-va-ga-r o teu


nome,

Laura disse...

lindo!!!!!!!!!!!

f@ disse...

Adoro Pina Bausch.... assim em primeira fila tão emoção que nos deixa a bailar e nos empurra para outra dimensão...

Beijinhos das nuvens

Anônimo disse...

Não digas onde acaba o dia.
Onde começa a noite.
Não fales palavras vãs.
As palavras do mundo.
Não digas onde começa a Terra,
Onde termina o céu
Não digas até onde és tu.
Não digas desde onde és Deus.
Não fales palavras vãs.
Desfaze-te da vaidade triste de falar.
Pensa,completamente silencioso,
Até a glória de ficar silencioso,
Sem pensar.
Cecilia Meireles

~pi disse...

http://caminhosdoser.blogspot.com/


[

a importância das questões

de ricardo rech

nas reflexões de

un dress

e

~pi

sobre as palavras e

sobre os

silêncios






~

Ad astra disse...

miss you...

e o saxofone tem hoje um som triste
;)

beijo

mariam disse...

~Pi,
espero que tudo bem consigo!

boa semana
e um grande sorriso :)

mariam

Post-It disse...

Viva!
Por onde andas?
Quando voltas? Ou melhor, voltaste?
Até já.
:)

Anônimo disse...

vim beber destas águas mágicas...
obrigada pela visita...não tenho escrito mais...Beijos!
Ana(Crisálida)

Loading...