aranha

arranha

o céu seu ai

en reda vento






campainha re bento

la mento [ di que negli alti cogitamenti d´amore

des coberta

per


I

I

I


f

u

r

a

ção


acro bata ama rela [ dolcemente morire op tano

fencia intercalatione crudele

cogito ergo sum non sum

non


s

u

m




sum non






textocolagem~ecos~fotocolagem de ju gioli


25 comentários:

~pi disse...

vagamente penso

o que muito

sinto:

algures

entre pensar e

sentir

a tecedura duma pele

poético.real

a que chamo

hoje.agora

num presente.sempre

feito

de todos os tempos



enter ne cer ~

rosasiventos disse...

quando ao sopro a melodia não descansa
continuam perdidos os pássaros
parece
indefinidos na suspensa espécie
continuam os pássaros com a espécie suspensa

Só- Poesias e outros itens disse...

Obrigado pela indicação.
Fiquei deveras feliz em ver uma colagem minha aqui, neste lindo e sensível blog.

bjs.

JU Gioli

Rui disse...

The spiderwoman is having me for dinner, tonight.

~pi disse...

the spider woman

she...hum... thanks!

:)

sonjita disse...

Um presente, um hoje, feito daquilo que somos e daquilo que sentimos... lindo o poema!!!

Descobri-te e, também sendo eu uma Pi, resolvi passar por cá...

BJokas

ana disse...

a reinvenção do (do!):) acrobata amarelo, ainda

BANDEIRAS disse...

Querida amiga além mar,

Palavras bonitas, soltas de um pensamento que voa no tempo,
imagem deliciosa
bjs

* hemisfério norte disse...

de passagem, dê a volta à aranha e espreite

http://miniminimos.blogspot.com/

seu comentário será importante
obrigada
a.

Ad astra disse...

tecem as palavras
piruetas

Stella Nijinsky disse...

Oi ~pi

belo ponto de vista a descrição entre o penso/sinto/passado/presente,

por fundo o rebento,
o lamento
morrer docemente
um penso/sinto/presente/passado

Beijo,

Stella

manhã disse...

é como um movimento ritmico, uma dança de palavras, dancemos então com o cogito atento ou o sentimento, ai o sentimento...é um alguidar mesmo...

Anônimo disse...

seres apenas barco,

no mar embalado

Rui Caetano disse...

o movimento cresce ao sabor da palavras. uma boa ideia.

* hemisfério norte disse...

:)
a ideia era vc visitar este
http://miniminimos.blogspot.com/
para o qual eu fui convidada e postei hoke pela primeira ez
obrigada
bjs a

disse...

relar
arranhar
perfurar...o céu
e perguntar
ser ou não ser,doce...o depois.
ah...vorrei sapere!

Frioleiras disse...

tu és a dress?.................

ivone disse...

terno

muito
t
e
r
n
o

Ruela disse...

enrola-me na tua teia...

hfm disse...

vou por aí abaixo como num trapézio sem rede.

Dalaila disse...

teias que não se desfazem

legivel disse...

enredado na teia
em flagra apanhado
lá se foi a ceia
preso neste lado.

preso neste lado
já me falta a manha
de patas virado
com a mulher aranha

com a mulher aranha
não me desembaraço
a pata arranha
sofro um bom pedaço

sofro um bom pedaço
mas muito me rio
o enredado desfaço
e agora sorrio

laura disse...

já te tinha espreitado... estas coisas são mesmo assim. umas trazem-no outras... e quando as que nos trazem são belas então ficamos com uma sensação boa de que vale a pena. obrigada pela tua visita. voltarei.

~pi disse...

en re do S :)

Eduardo P.L. disse...

Inconfundivel trabalho da amiga JUGIOLI

Parabéns às duas!

Loading...