~










alter acção










em janeiro dobramos a cabeça finada


aos pés que atravessam


as esquinas cegas de sangrar os dedos


à raiz da carne


arranhando a parede da magnólia gelada




e vamos sonambulamente [ bonés sem cabeça

os pés pelo avesso percorrendo a estrada



] regressados a casa revestimos a solene nudez


da eterna posição inicial


atravessando icebergs da memória


os olhos muito fechados [ contraindo bicicletas e remos


subscritas resignações e vagas afinidades


os corpos correndo alarmados gestos


] recusando a combustão do sândalo lento

recusando

o grito que oferece o vento







.











.

30 comentários:

Simone Huck disse...

Sonâmbulos, inertes, inquietos...
Grita a alma, grita a palavra, grita a música do vídeo postado. Não há caminho para meus pés !!
(AMO suas letras).
S

raúl disse...

piano, piano,
sobre la arena.

/t. disse...

waiter,
please bring us
more wine... and a fresh loaf...

and more wine...

× × ×

/t.

Anônimo disse...

L'amour se tait

a criança pisa a água
macia-a-mente como só crianças
Cheias do Sena longe de África.
(o video é lindíssimo obg)
Bj da bettips

Anônimo disse...

...esqueci-me de dizer
"You are so beautiful
to me"
porque te juntei à sombra e te vi
rir!
Versejo língua
cor de ginja.
Bj again

entredentes disse...

l`amour se tait,oui,

l`amour doit absolument

se défendre

de la prédation affamée

des paroles

legivel disse...

bela maneira de começar janeiro olha se fôr assim o ano inteiro!

exclamou ele

não te amofines homem de deus que quem te ouvir imagina que não sabes dar o valor que as palavras merecem...

retorquiu ela

ora! como queres tu que eu reme e ande de bicicleta de olhos fechados?!

volveu ele

por vezes - quando te quero sentir para além daquilo que te conheço - não mo permites. és a pessoa que conheço que menos arrisca

tornou ela

ele olhou-a inquieto e ela riu com um riso tal que dir-se-ia que janeiro já fôra e estava aí a primavera


beijos e sorrisos. de inverno.

quicas disse...

baixou a maré

porque te foste!

...e a estrada "TE" canta!


beijo

Rayuela disse...

aquí

en enero
el sándalo
arde
el viento
canta
la magnolia
v
u
e
l
a*
los ojos
se
abren

grandes
grandes (como)
oídos

la
alter ación
decrece

)un placer leerte,un placer veroír el video(

besos*

MentesSueltas disse...

Hola, mil gracias por tu comentario... me gusto mucho tu blog.

Volvere.

Beijos
MentesSueltas

. intemporal . disse...

.

. a.janeiro.me na assertividade que aqui é verbar incisivo .

. quando chegar a dezembro, serei talvez o convexo da transparência .

. "amei.de.amar" .

. um bom fim de semana .

. sempre,,, .



. paulo .

.

Frioleiras disse...

soberanamente belo...........

...
.............. tudo !

Dois Rios disse...

janeiro...começo da continuação.
o mesmo sempre de novo.

beijos, querida Pi.

inês

p.s.amei o vídeo.

Diva disse...

Mlle,
Janeiro leva-o Diabo no vento mas eu tenho o meu coração bem quente o que já é alguma coisa.

;)

Bisou

heretico disse...

perfume de sândulo. gosto...

apesar do grito esgasgado.

beijo

Vieira Calado disse...

Uma interessante maneira se expressar-se poeticamente,
sem dúvida!

Cumprimentos meus.

Arabica disse...

Janeiro que a levou.
E nós mais sózinhos.


[depois vieram os frutos,
as ruas iluminadas
da noite em azulejo.
fresco suspenso no tempo]


Um beijo, ~Pi.

lupussignatus disse...

o sal

corroendo

a pele



[da maré

da voz]



*brilhante
re.começo*

Dalaila disse...

em janeiro a música não falta.

Duarte disse...

Junção harmónica entre as tuas palavras, a música e as imagens.
Gostei desse francês cantado silaba a silaba, que bonito!
O vento e o frio empenharam-se em fazer-me a barba, esta noite, sem sabão! Enquanto a lua se ria de mim numa poça do caminho... coisas do Janeiro!
Um abraço no conforto

Ruela disse...

feto de memórias...


bjs.

Ana disse...

_ maré alta de memórias
__ a voz que permanece viva
___ o grito que ningém cala



1 Bj.

Rui disse...

Chorões, como ela.

VFS disse...

no ventre,

começam as ilusões da existência.

Justine disse...

Foi em Janeiro, poderia (poderá) ser num qualquer mês da nossa vida...
"Sur la marée haute je suis montée"
...

~pi disse...

obrigada

gostaria de dizer que o poema não foi feito

para a morte de lhasa, apenas isso,

foi um poema feito dos meus próprios passos...

a música, sim, é dela,

[ não porque tenha morrido,

mas porque é bela,




beijos e abraços




~

via disse...

as casas são sempre casas de memória, mapas de memória.gostei.

Mariana Soffer disse...

Her death was so sad, I loved this womman, watched her in spain twice, he was an amazing artist, sometimes good things do not last.
Send you my love friend

Laura disse...

Ainda vim a tempo de sentir o perfume deste janeiro!

Carlos Ramos disse...

São grandes as tuas letras...grandes.

Loading...